Chegamos ao final da websérie #ELASMORAMNOMUNDO com mais 5 entrevistas de meninas que estão morando fora do Brasil. Consegui identificar pontos em comum em cada uma delas e percebi que no final estamos todas conectadas de alguma maneira. Para mim, o recado mais importante desse projeto é que apesar de todas as dificuldades, renúncias, perrengues e obstáculos que encontramos no caminho, no final vale a pena se arriscar e vencer os medos para viver novas experiências.

Eu sempre fiz questão de mostrar a realidade por trás de cada sonho realizado e não tenho intenção nenhuma em passar uma imagem de que morar no exterior é um conto de fadas, porque não é! Criamos um grupo no whatsapp com as meninas que participaram e estamos abrindo para quem mais tiver interesse para futuros trabalhos que virão. 🙂 Muito obrigada a todas por toparem a ideia e compartilharem um pouquinho de suas experiências, vamos juntas!! <3


Taiane Figueiredo – Cabo Frio/RJ – Atualmente morando em Aylesbury – UK

O que te motivou a ter a experiência de ir morar fora? Meus avós viajaram bastante pela europa quando eu era criança e eu amava ver os vídeos que meu avô fazia mostrando os lugares que eles tinham visitado, ali a sementinha foi plantada! Eu queria viver aquela experiência!( meu avô foi o primeiro blogueiro da família por sinal). Quando me tornei adulta, universidade, emprego, relacionamento e meu sonho foi ficando em segundo plano, Até fiz duas incríveis road trips pelo Brasil ( Rj x Recife e Rj x Punta del Este), mas foi quando fui demitida que eu pensei “se não for agora, ‘e nunca mais!” Daí comecei a me  programar para um intercâmbio de 3 meses, onde ouvi de um ex “ se você for a gente termina” após quase 8 anos de relacionamento. Desde 2018 que eu fui pros 3 meses de intercâmbio em Dubai e não voltei mais! tô aí pelo mundo, vivendo meu sonho com um total de zero arrependimentos!

Qual foi a maior dificuldade antes de partir? Sem dúvida minha maior dificuldade foi sair totalmente da minha zona de conforto. Eu fui nascida e criada em Cabo Frio, no interior do Rio de Janeiro, meus pais são artesãos, então trabalhavam em  casa e nosso contato sempre foi 24/7. Eu era a pessoa que odiava ir até a padaria sozinha e amava sempre a casa cheia de amigos! Com as voltas que o mundo dá, descobri uma nova Taiane. totalmente auto suficiente.  Hoje acredito que meu único medo é que aconteça algo com alguém da família e eu não esteja lá para dar suporte ou que eu não consiga chegar a tempo pra ajudar.

Como lidou com o medo e inseguranças/incertezas durante o caminho? Eu levo o “se der medo,vai com medo mesmo!” pra vida, como um mantra!! Mas o apoio incondicional da minha familia, certamente tornou a jornada mais leve! Esse ano de pandemia virou minha vida de cabeça pra baixo, me encontrei de volta à estaca zero. Perdi o emprego em Dubai, fiquei presa no Brasil por 6 meses com voos cancelados, e decidi recomeçar voluntariando pela worldpackers na Inglaterra. Em meio a todas as incertezas e inseguranças do momento, a gente vai se descobrindo mais forte, capaz e vivendo experiências incríveis que jamais viveríamos se nos deixarmos abater pelo medo

Quando chegou no seu destino, o que foi acima e abaixo das expectativas? Meu primeiro destino foi Dubai e com certeza minhas expectativas foram tao altas quanto o burj khalifa! Mas a cidade em si superou tudo que eu poderia imaginar! Todo mundo vê Dubai como um destino super caro! E na real nem é bem assim! Ao meu ver, é o melhor lugar pra mulherada que gosta de baladas! Saudades ladies night! Onde a mulherada entra e bebe de graça nos melhores estabelecimentos da cidade!! Fora que é uma cidade multicultural, super segura, com uma história incrível e simplesmente sensacional. No entanto, eu tinha noção que era quente, mas aquilo lá não tem explicação! Porém agora vivendo na Inglaterra, só tive mais certeza que meu lugar é no verão!

Em algum momento pensou em desistir? Por que decidiu continuar? Como mulher e canceriana, Toda TPM é uma montanha russa de emoções, então posso dizer que uma vez por mês, eu penso em desistir haha mas aí logo os hormônios se aquietam, tudo volta a fazer sentido e você se lembra do porquê das suas escolhas e o tanto que já conquistou até o momento! Nem tudo são flores nessa vida de viajante, e é normal ter dias ruins, mas é gratificante! Um amigo uma vez me disse: O importante não é o destino, o importante sempre será o caminho!! O tanto de aprendizado,autoconhecimento, independência e pessoas incríveis que já conheci nessa jornada me faz sempre querer continuar!

Passou alguma dificuldade especificamente por ser mulher? Minha primeira experiência eu fui fazer meu intercâmbio em Dubai, e confesso que fui cheia de certos receios, por ser um pais que segue o islamismo, mas fui preparada para enfrentar o que tivesse por vir! e confesso que me senti mais segura sendo mulher lá do que no meu próprio país. No entanto, o fato de ser mulher, solteira, beirando os 30 e não ter intenção de casar e ter filhos, ainda gera milhões de julgamentos e preconceitos em grande parte do mundo!

O que te faz continuar na estrada ou morando em algum país? Em março eu estava em Dubai e fui de surpresa visitar minha família,onde teoricamente eu passaria 25 dias de férias, acabei sendo surpreendida pelo lockdown, tive meu voo cancelado e  fiquei “presa” no Brasil por 6 meses. A sensação de não pertencer mais aquele lugar foi tão estranha, que só me fez ter certeza que meu lugar ‘e o mundo! Foi a primeira vez que eu voltei pra casa após meu intercâmbio, tudo que eu mais queria era matar a saudade de casa e me peguei não vendo a  hora de voltar a me aventurar pelo  mundo!

Quais os pontos positivos e negativos de morar fora do Brasil? Por mais clichê que seja, a parte negativa sempre será a saudade de casa, da família, dos amigos, da nossa cultura, dos abraços calorosos e principalmente da COMIDA! Mas graças a tecnologia a gente consegue se fazer presente mesmo que distante! Porém do meu ponto de vista há mais prós que contras!! A segurança, a qualidade de vida, o autoconhecimento,as experiências e pessoas incríveis que não teria conhecido se continuasse dentro da minha bolha,faz tudo valer a pena!

Quais são os seus valores durante uma viagem? Meus valores durante minha viagem ‘e absorver toda a experiência que o lugar tem pra me proporcionar, viver a cultura, experimentar a culinária,conhecer pessoas locais, entender um pouco da perspectiva deles. Eu costumo dizer que deixo a vida me levar e agarro todas as oportunidades que aparecerem. Quando saí do Brasil agora em setembro, meu plano era apenas voluntariar e conhecer as cidades ao redor, acabei tendo a oportunidade de trabalhar como au pair, algo que jamais passou na minha cabeça e eu tinha até uma aversão à ideia, mas agarrei a experiência e estou aproveitando pra fazer um pé de meia e poder passar mais tempo viajando após vacina! Além de ser uma oportunidade incrível de aprimorar o idioma, vivenciar o dia a dia de uma família britânica, conhecer mais da cultura e estilo de vida.

 Qual o recado você daria para uma mulher que sonha em morar fora mas não tem coragem? Só vai! Se você tem esse sonho, se joga no mundo que vai valer super a pena! Meu único arrependimento foi não ter feito antes!! O medo de sair da nossa zona de conforto é aterrorizante, mas há experiências ,lugares e pessoas incríveis esperando por você! se fosse pra ficarmos sempre no mesmo lugar, teríamos raízes e não pés!! Então, se der medo? vai com medo mesmo!!! Se planeje, arrume a mala e bora! e se não for o que você esperava? nosso Brasil tá sempre de portas abertas esperando por nós e tá tudo bem recomeçar, quantas vezes for necessário!


Helen – Ribeirão Preto/SP – Atualmente moro em Sydney, Australia

O que te motivou a ter a experiência de ir morar fora? Sempre quis morar fora. Na verdade, sempre quis viajar o mundo e morar perto da praia. Sou de Ribeirão Preto, interior de SP e era alucinada pelas viagens de férias, em família, que fazíamos pelo litoral do Brasil. Minha primeira mudança foi logo que me formei em Psicologia, em 2007, para o Rio de Janeiro. Lá encontrei minhas raízes de alma. É a cidade que mais me representa no mundo até agora. Mas eu não voltaria a morar lá atualmente, devido à violência e à triste deterioração da cidade.
Qual foi a maior dificuldade antes de partir? Minha maior dificuldade foi deixar a família. Acho que eu não tinha ideia de pra quão longe eu estava indo. Já morava longe da minha familia há 10 anos, fazendo visitas mensais. Minha ideia, estando na Australia, seria realizar visitas semestrais de 1 mês (eles vindo e eu indo). Funcionou bem no meu primeiro 1 ano e meio, mas devido à pandemia, os planos de visita estão congelados, e isso é o que mais me angustia no momento.
Como lidou com o medo e inseguranças/incertezas durante o caminho? Eu estava muito certa do que queria e vim com tudo muito bem planejado. O respaldo da minha família sempre me deixou tranquila pra arriscar.
Quando chegou no seu destino, o que foi acima e abaixo das expectativas? Acima das expectativas: A Australia é um país extremamente rico, organizado, com muitas regras, as quais são cumpridas, limpo e seguro. Sem falar sobre a beleza natural daqui. Acredito que não vou encontrar nada parecido em nenhum outro lugar do mundo.
Abaixo das expectativas: Preconceito. Sim, existe preconceito e racismo na Australia. Mesmo sendo um país multicultural, é possível passar por situações de humilhação devido à sua nacionalidade, raça ou nível de inglês.
Em algum momento pensou em desistir? Por que decidiu continuar? Não pensei em desistir em nenhum momento, mas talvez porque minha vida se encaminhou como o planejado. Hoje eu sei que o meu limite em um visto de estudante é o de 3 anos. Viver como estudante mais do que isso me faria voltar para o Brasil.
Passou alguma dificuldade especificamente por ser mulher? Não acredito que tenha passado por nenhuma dificuldade por ser mulher, mas sei que a Australia trata com muita seriedade casos de assédio/abuso sexual e violência doméstica, oferecendo todo o suporte que ofereceria a um cidadão australiano.
O que te faz continuar na estrada ou morando em algum país? Há dois anos que não estou mais sozinha e atualmente faço planos em conjunto com meu parceiro. Ele é francês e australiano e devido ao emprego, nos mudaremos para Singapura em 2021 e depois planejamos viver na França por alguns anos. Adoro mudanças e recomeços. Mas mais do que isso, a imersão em diferentes culturas me faz pensar e compreender o ser humano de uma forma inédita e singular, me fazendo evoluir pessoal e profissionalmente.
Quais os pontos positivos e negativos de morar fora do Brasil? Positivos: A possibilidade de autoconhecimento, amadurecimento e vivência de experiências inusitadas que me obrigaram a encontrar soluções antes inimagináveis. Entre tantas evoluções e aprendizados que eu busco, a experiência de morar fora é um dos caminhos que me proporciona isso. Negativos: A saudade da família, a distância do idioma, ter que absorver/aprender tudo de forma rápida, a falta de referências.
Quais são os seus valores durante uma viagem? O objetivo do meu intercâmbio foi o de aprender inglês e ser capaz de me comunicar, estudar, trabalhar e me relacionar em inglês. Com isso, sou tomada por uma curiosidade genuína por tudo o que faz parte do país escolhido. As pessoas que vivem aqui, a comida que comem, como elas se relacionam. Como o país se construiu e se desenvolveu e por que. O que faz da Australia um país rico, enquanto o Brasil é pobre. É muito interessante vivenciar o dia-a-dia de um país tão diferente e aprender/entender o mindset das pessoas que vivem aqui.
Qual o recado você daria para uma mulher que sonha em morar fora mas não tem coragem? Se ela não tem coragem é porque ela não está pronta. Mas se ela já expressa certa curiosidade em relação a isso, realizando pesquisas sobre intercâmbio, lendo blogs e assistindo videos sobre o tema, o meu conselho é que ela se informe o máximo possível, esteja certa dos seus objetivos e faça um planejamento coerente com o que deseja. Lembrando sempre que esse “morar fora” pode ser um intercâmbio de um mês e ela sempre poderá decidir retornar ao Brasil, se necessário. Medo do desconhecido é algo absolutamente normal e chegando lá, ela descobrirá que não está sozinha e que fará amizades pra vida.

 Taynara Furlan – Campo Grande/MS – Atualmente morando em Livorno, na Itália

O que te motivou a ter a experiência de ir morar fora? Minha maior motivação em morar fora é a possibilidade de conhecer outros países, outras culturas e lugares e não me sentir presa em apenas um lugar e poder ter mais qualidade de vida em um país mais seguro.

Qual foi a maior dificuldade antes de partir? A maior dificuldade é a distância da família e dos amigos.

Como lidou com o medo e inseguranças/incertezas durante o caminho? Com terapia, oração, apoio de pessoas que me amam.

Quando chegou no seu destino, o que foi acima e abaixo das expectativas? Como eu vim primeiro reconhecer minha cidadania italiana eu por enquanto não tive essa experiência….espero em breve contar para vocês hahaha

Em algum momento pensou em desistir? Por que decidiu continuar? Ainda não pensei em desistir e nem posso…pensei em desistir antes de vir por conta do valor que eu tive que investir (e não tinha) para estar aqui.

Passou alguma dificuldade especificamente por ser mulher? Por ser mulher eu tive medo de alugar quarto em casa de homens, andar sozinha na rua, por mais que eu saiba que aqui não é como no Brasil em relação à segurança ainda fico com medo.

O que te faz continuar na estrada ou morando em algum país? A possibilidade de conhecer e viver em outros países, outras culturas, de ter outras oportunidades e mais qualidade de vida e segurança em países com melhor IDH.

Quais os pontos positivos e negativos de morar fora do Brasil? O ponto negativo é estar longe das pessoas que me amam, que são meu porto seguro e sair da zona de conforto, achei TUDO diferente; e o lado positivo tbm é sair da zona de conforto, aprender novas formas de fazer as coisas, vencer os próprios medos e inseguranças, se conectar consigo mesmo, se conhecer mais, e evoluir.

Quais são os seus valores durante uma viagem? Meus valores em uma viagem são conhecer lugares, comidas, culturas, pessoas e trabalhar para ter dinheiro para viver bem e poder viajar e conhecer mais lugares.

Qual o recado você daria para uma mulher que sonha em morar fora mas não tem coragem? Eu falaria que loucura não é largar tudo para fazer algo assim, loucura é viver uma vida que não faz sentido, não faz sentir, não faz seus olhos brilharem e seu coração bater mais forte; eu entendo que dá medo mas procura se fortalecer, se programar, fazer terapia ( a louca da terapia) e arriscar….é melhor a gente se arrepender por ter tentado, do que se arrepender de nunca ter tentado e viver sem saber se daria certo.


Gabriela – Salvador – Atualmente morando em Oxford

O que te motivou a ter a experiência de ir morar fora? Desde pequena eu tive o sonho de morar fora, experienciar outras culturas. Acredito que a minha tia que morava no Canadá foi a minha maior inspiração. Quando iniciei a graduação no Brasil comecei a avaliar as oportunidades e vi que morar fora me traria não só um crescimento a nível pessoal, mas também a nível profissional.
Qual foi a maior dificuldade antes de partir? Eu deixei o Brasil ainda muito nova, com apenas 19 anos. Não tinha muito o que deixar pra trás, estava numa fase de criar novas experiências e amadurecer. A maior dificuldade foi lidar com as incertezas, em deixar o que parecia sólido e concreto para uma jornada ao desconhecido. 
Como lidou com o medo e inseguranças/incertezas durante o caminho? Morar fora trás uma série de obstáculos inimagináveis, é estar fora da sua zona de conforto a todo o instante, principalmente no início. Eu sempre busquei focar no aprendizado, lembrar de onde vim e onde quero chegar me ajudou a superar muitos desafios. Criar uma rede de suporte também foi, sem dúvida, importante. Conheci muitas pessoas queridas ao longo do caminho.
Quando chegou no seu destino, o que foi acima e abaixo das expectativas? O meu primeiro destino foi a Irlanda. Era a minha primeira vez fora do Brasil e tudo me encantava. A facilidade de viajar para outros lugares e a infraestrutura em geral foram acima das minhas expectativas. Sem dúvidas, a minha maior decepção foi o clima hahaha Apesar de já imaginar como seria, só após vivenciar o inverno cinzento, dias em que mal se vê o sol, percebi o impacto negativo no meu bem-estar.
Em algum momento pensou em desistir? Por que decidiu continuar? Em diversos momentos flertei com a ideia de desistir. No entanto, nunca levei a sério. Eu decidi, e todos os dias decido continuar, porque acredito que é parte da minha jornada. No momento, não sei exatamente pra onde estou indo, mas estou.
Passou alguma dificuldade especificamente por ser mulher? Pra ser sincera, tive mais dificuldade em ser mulher no Brasil do que em qualquer país que eu tenha ido na Europa. No geral, não tive dificuldades. Todavia, quando morei em Portugal lidei com machismo e comentários misóginos. 
O que te faz continuar na estrada ou morando em algum país? Em 5 anos fora do Brasil  morei na Irlanda, Portugal e Inglaterra e, além de uma graduação e oportunidade profissional adquiri aprendizados valiosos. O fato de estar fora do meu país me trouxe crescimento pessoal e muita satisfação. Além disso, a qualidade de vida e a segurança são fatores importantes para mim.
Quais os pontos positivos e negativos de morar fora do Brasil? Nessa jornada, eu conheci pessoas que provavelmente jamais conheceria na minha bolha de convívio no Brasil. De conversar à beira de um rio com um historiador americano expatriado na Alemanha a preparar um jantar com um senhor austríaco. Morar fora me trouxe abertura ao novo. Mais do que conhecer outros países e culturas, eu conheci a mim mesma.
Por outro lado, não importa o quão à vontade você esteja com a cultura local, você sempre será uma estrangeira. E isso não é necessariamente um problema. Mas sempre haverá a saudade de casa, da família, da comida, os choques culturais. Ganha-se e perde-se, cabe a cada um avaliar o que realmente é importante para si.
Quais são os seus valores durante uma viagem? O que busca e procura viver? Eu adoro conhecer lugares históricos, entender os costumes, experimentar comidas (e bebidas). Procuro sempre conversar com locais. Gosto de viver o momento! Já tive o costume de planejar rotas diárias bem detalhadas, mas hoje prefiro ser espontânea e planejar apenas o indispensável.
Qual o recado você daria para uma mulher que sonha em morar fora mas não tem coragem?
Eu acredito que morar fora de forma permanente não é pra todo mundo, mas uma experiência fora é extremamente benéfica, independentemente da duração. Se esse é o seu sonho, faça acontecer! Planejamento é essencial, principalmente financeiro. Às vezes vale a pena adiar o sonho para ter uma melhor estrutura. Um passo de cada vez, o mais importante é começar. E quem sabe onde essa jornada vai te levar? Se joga!

Maria Fernanda Romero – Atualmente morando na Áustria

O que te motivou a ter a experiência de ir morar fora? Durante toda minha graduação já planejava sair de SP depois que me formasse, quando me formei me mudei pra Florianópolis e durante um mochilão pelo Uruguai expandi muito minha mente em relação as possibilidades e formas de viver e trabalhar e resolvi sair do Brasil.

Qual foi a maior dificuldade antes de partir? Se despedir das pessoas que eu gostava foi um desafio, mas não foi uma dificuldade quando eu parti porque eu realmente queria viver a vida com liberdade e sabia que o amor que eu tinha pelos amigos e familia não mudaria com a distância. Acho que o maior desafio foi desenvolver formas de ganhar dinheiro.

Como lidou com o medo e inseguranças/incertezas durante o caminho? Pensando no meu sonho, que ele nao seria fácil, que eu precisava passar por aquele processo pra me tornar quem eu queria ser, com a vida que eu queria ter. Me senti incapaz e tive muitas dúvidas se eu estava sendo egoista, mas depois que foquei no meu proposito maior, no que eu queria fazer e quem eu queria ajudar e como eu queria fazer isso pude e posso passar por esse momentos.
Quando chegou no seu destino, o que foi acima e abaixo das expectativas?
Acima: belezas naturais, poder aquisitivo, ou seja pude ter acesso a coisas que eu nao tinha no Brasil por um valor muito menor e sem depender de mais ninguém, liberdade e facilidade de locomoção, de viajar, de sair a noite, acesso a saúde.
Abaixo: o respeito das pessoas, falta de empatia,  burocracia, preconceito e xenofobia, mentalidade em relação a reciclagem e lixo, viajar na Europa depois vira sempre o mais do mesmo e comecei a querer algo a mais.
Em algum momento pensou em desistir? Por que decidiu continuar? Mesma resposta de medo e insegurança.

Passou alguma dificuldade especificamente por ser mulher? Sim. Sofri assédio algumas vezes e uma situação de quase abuso, temos que nos proteger mais por ser mulheres. Também decidi continuar por esse motivo, sou mulher no mundo e quantas mais mulheres estiverem no mundo melhor será para as mulheres do futuro.O que te faz continuar na estrada ou morando em algum país? Continuo na estrada porque não me deixou de surpreender, porque sana a minha curiosidade e sede de viver e porque a impermanência é  a única certeza da vida.

Quais os pontos positivos e negativos de morar fora do Brasil?
Lado positivo: tudo das coisas que superaram a minha expectativa, principalmente a questão  do poder aquisitivo e da liberdade e independência, mais conhecimento geopolitico e histórico, aprender outras línguas, outras culturas, outras comidas, estradas incríveis, muito fácil de achar produtos e cosmeticos bio, comida bio, brechos. Nao acho que precisa sair do Brasil para ter aprendizados ou amadurecimento, é sobre sair da sua bolha,  se sair da sua bolha for andar com um grupo de amigos diferentes ou se dedicar a projetos diferentes dentro da sua própria cidade, também vai te trazer crescimento.

Lado negativo: sinto falta da comida, das festas e da familia. É estar longe de tudo, perder o crescimento e as mudancas das pessoas queridas.

Quais são os seus valores durante uma viagem? O que busca e procura viver? Eu busco conhecer culturas diferentes e outros pontos de vista, busco desconstruir meu ego e descobrir coisa sobre mim e sobre o mundo. Desvendar mitos com meus proprios olhos e entender como as pessoas vivem fora da minha cultura. Eu busco viver uma vida com significado, tranquilidade, descobertas, verdade e amor.

Qual o recado você daria para uma mulher que sonha em morar fora mas não tem coragem?

Vai com medo mesmo que o medo pode ser um amuleto, mas nunca deixe o medo te paralisar, porque a vida é cheia de imprevisibilidades e podemos escolher viver algumas dessas experiências e descobrir um pouco mais sobre a grandeza do mundo. Ficar em casa não é sinonimo de segurança, nem de sucesso, assim como viajar, mas ver as duas perspectivas pode expandir a mente para decidir o que nos faz feliz.

 

ASSISTA O TERCEIRO EPISÓDIO NO IGTV AQUI! 🙂

Booking.com

Livia Zanon
Sou Campo-Grandense mas pertenço à este mundão. Apaixonada em compartilhar as experiências, dicas, perrengues e toda transformação que viajar trouxe à minha vida, criei o blog para inspirar as pessoas a saírem da zona de conforto e viverem coisas incríveis. Viajar é o que faz me sentir viva!

Planeje a sua viagem

Prefere casa ou apartamento? Utilize nosso cupom de desconto de R$ 130,00 no Airbnb e tenha uma experiência diferente e mais econômica de hospedagem.

Não esqueça do Seguro Viagem! Faça sua cotação na SegurosPromo para encontrar o seguro que você precisa. Utilize o cupom MINHASVOLTAS5 e ganhe 5% de desconto.

Encontre a sua hospedagem com o nosso parceiro Booking e Hostel em qualquer lugar do mundo através do  Hostelworld.

Precisa alugar um carro? Reserve pela RentCars. A cobrança será feita sempre em reais, sem IOF e você ainda vai poder dividir em até 12 parcelas no cartão de crédito ou ter um desconto de 5% no boleto bancário.

Saia do Brasil já conectado e com o celular funcionando durante a viagem.  Com o EasySim4u você tem acesso à internet 4G nos Estados Unidos e Canadá e mais de 140 países.

Tags: , , , , , , ,

1 comentario en “Projeto: Elas Moram no Mundo – Ep. 3”

  1. Taynara disse:

    Aaah que lindooo ?? muito maravilhoso.

Deixe uma resposta

autora

Sou Campo-Grandense mas pertenço à este mundão. Apaixonada em compartilhar as experiências, dicas, perrengues e toda transformação que viajar trouxe à minha vida, criei o blog para inspirar as pessoas a saírem da zona de conforto e viverem coisas incríveis. Viajar é o que faz me sentir viva!

receba as novidades por e-mail

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Facebook


reserve seu hostel

Encontre sua hospedagem



Booking.com

alugue seu carro

seguro viagem

Esse blog faz parte:

Blog Membro do RBBV - Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem

 

Loja

Mais Lidos

Roteiro de 5 dias na Amazônia

Tudo começou quando eu ganhei um passeio de 3 dias na Selva Amazônica num sorteio realizado pelo Caio Travels (conto melhor essa história no Instagram @omundoeminhasvoltas) e oferecido pela Iguana Tour. Confesso que Manaus nunca foi um destino que estivesse na minha lista de desejos em conhecer, e que hoje indico de olhos fechados pois […]

o_mundo_e_minhas_voltas

Roteiro econômico de 7 dias em Cancun e Playa del Carmen

Oi pessoal! Tudo bem? Vim aqui contar mais detalhes do meu roteiro econômico de 7 dias em Cancun e Playa del Carmen, e já adianto que a viagem foi MUITO MAIS MARAVILHOSA do que eu imaginava! O primeiro destino foi Cancun, uma cidade que fica na costa do estado de Quintana Roo, no México, em uma península que se tornou […]

Como analisar a tábua de marés

Oi pessoal! Hoje vim tirar a dúvida de muitos de vocês quando o assunto é tábua de marés. Sempre que alguém vem à Bahia, quer visitar a famosa Praia do Espelho em Trancoso, e encontrar o “Caribe Baiano” em suas águas cristalinas. Acontece, que quase ninguém informa ao turista que é preciso analisar a maré antes […]

error: Ooops!